quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Faz mal praticar exercícios em piscina de água quente?

Os exercícios físicos produzem calor como resultado do consumo de energia que a atividade requer, e esse
calor pode ser armazenado no corpo ou dissipado no ambiente.
Um ‘termostato’ cerebral controla a temperatura ideal do organismo a cada momento: se o corpo está esfriando, ele age para armazenar calor internamente; se há sinais de que a temperatura corporal está aumentando, procura dissipar calor no ambiente. No ser humano, o armazenamento de calor acontece por
meio da redução do fluxo de sangue para a superfície (palidez da pele) e da produção de calor através do tremor. Para dissipar calor, o “termostato” manda mais sangue para a pele e produz suor, que, se evaporado, retira calor da pele e resfria o sangue que está passando por ela.
Quanto mais a temperatura da água de uma piscina se aproximar da temperatura da pele (aproximadamente 32°C), mais agradável será permanecer nela em repouso. No entanto, quanto mais aquecida for a água, menor a capacidade do organismo de dissipar o calor produzido durante os exercícios, pois haverá menos troca por convecção e não haverá evaporação do suor. É como realizar exercícios no ambiente quente e úmido de uma floresta tropical. O acúmulo de calor interno resulta na aceleração dos batimentos cardíacos e em sintomas como tontura, mal-estar e desmaio, devidos à queda da pressão arterial, casada pelo desvio de parte do sangue para a pele. Assim,para evitar esses efeitos indesejáveis, quanto maior o gasto de energia da atividade física, menor deve ser o aquecimento da piscina.
[CH 199 – novembro/2003]

Luiz Oswaldo Carneiro Rodrigues
ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA, FISIOTERAPIA E TERAPIA
OCUPACIONAL, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

2 comentários:

  1. O colorido das letras esta ilegível, vê se muda acor do fundo. Não consigo ler nada.Você consegue ler?

    ResponderExcluir